Investimentos na área de turismo no Brasil

Com a inclusão de pelo menos 32 milhões de famílias na classe média, os empresários no ramo da hotelaria e de outros serviços ligados ao turismo, estão expandindo seus negócios para aproveitar o bom momento do setor. Além da inserção das famílias em um grau maior de poder de compra, os grandes eventos que acontecerão no país, como as Olimpíadas de 2016, ajudarão a impulsionar o consumo na rede de hotéis.  

Em apenas dois anos, entre 2011 e 2013, já foram construídos ou reformados 201 empreendimentos hoteleiros no Brasil. A expectativa é que até 2016 cerca de 375 novos hotéis sejam construídos para atender uma demanda cada vez maior de vagas.   

A região Sudeste é a que tem recebido o maior número de investimentos em novos hotéis, com 59% do total. Segundo o mapeamento da Hotéis & Resorts, da BSH International Consultoria, a região Nordeste vem em seguida com 18%. Esses novos hotéis, além de expandirem investimentos que movimentam R$ 11 bilhões na economia, geram 31 mil empregos diretos.  

Grandes redes de hotéis internacionais como Hard Rock, Red Roof e Nobis Hotéis têm previsão para iniciarem as suas operações nos próximos anos em território brasileiro. Já estão no país com novos empreendimentos as empresas Arccor, InterCity, BHG, Blue Tree, Vert e Atlantica.  

De acordo com o DFPIT (Departamento de Financiamento e Promoção de Investimentos) ligado ao Ministério do Turismo, entre os hotéis que estão sendo construído no Brasil, o principal foco de investimentos tem sido nas categorias Midscale, Econômica e Supereconômica com 87% do total. Já os empreendimentos das categorias Superior e Luxo representam apenas 9% e outros 2% estão em Resorts. Essas informações são explicadas pelo Coordenador-Geral de Investimento do DFPIT, Rodrigo Marques.  

O governo brasileiro está empenhado em aproximar os investidores de bancos públicos, para ajudar no financiamento na rede hoteleira. O Ministério do Turismo também realiza conferência e seminários apresentando dados sobre o ambiente para investimento no país com o objetivo de atrair e informar os investidores sobre as vantagens da criação de empreendimentos do setor.  

Caixa Econômica Federal, Banco do Nordeste, Banco da Amazônia, BNDES e Banco do Brasil já desembolsaram R$ 58,4 bilhões em investimentos ligados ao turismo no período de 2003 a 2013. Somente do início de 2013 até maio deste ano foram liberados mais de R$ 18 bilhões. Mas não são apenas hotéis que foram contemplados com essa linha de crédito. Companhias aéreas, agências de viagens, restaurantes e bares, parques temáticos e até locadoras de carros se beneficiaram.  

Na South American Hotel & Tourism Investment Conference (SAHIC), que ocorre nos dias 15 e 16 de setembro em Quito, no Equador, o Ministério do Turismo irá abordar temas relacionados ao legado da Copa do Mundo, os aprendizados para 2016, oportunidades de negócios, bem como a dinâmica da economia do turismo no país. O evento é direcionado na promoção de negócios no ramo da hotelaria e turismo.  

O investimento estrangeiro é desejável e necessário para o Brasil, segundo o ministro do Turismo, Vinicius Lages. Isso representa a criação de empregos, novos modelos de gestão na área, melhoria na qualificação da mão de obra e transferência de tecnologia.

Por William Nascimento

Fitur 2015 terá área dedicada ao Turismo da Saúde

A Fitur é a feira de turismo mais famosa na região da Espanha e uma das principais do mundo também. O evento, agora, apresenta mais uma novidade: ela terá um novo salão temático a partir do próximo ano.

A feira conta com a Fitur Saúde, no Pavilhão 8 do Parque de Feiras Juan Carlos I que está situado em Madri. Além das participações das empresas que são relacionadas ao tema, a feira aborda assuntos sobre as tendências do segmento e também terá uma área para reuniões B2B que devem ser agendadas de forma prévia.

A nova localização é devido a parceria que foi feita entre a Fitur e a Spaincares, que conseguiu ter uma percepção do aumento do turismo de saúde na Espanha.

Além desse tema, alguns eventos ganharam espaços exclusivos desde as últimas edições da feira, como os assuntos de tecnologia, viagens corporativas e também o turismo GLS.

A Fitur teve a sua data alterada e vai acontecer entre os dias 28 de janeiro e 1º de fevereiro, buscando mostrar novas estratégias do turismo como, por exemplo, a promoção de novos itens, destinos e ações de comercialização. Assim, a feira está focada em setores como as agências de turismo.

Todo ano, a feira recebe milhares de visitantes, dentre eles, muitos operadores brasileiros. Para conferir outras informações e ficar por dentro da programação do evento é só acessar o site da Fitur por meio do endereço www.fituronline.com.

Além disso, as inscrições para os expositores da feira realizada em Madri já estão abertas. No site, o usuário poderá encontrar as principais informações. 

Por Babi

Natal (RN) terá 19 eventos até 2015

A cidade de Natal (RN) contará com pelo menos 19 eventos até o próximo ano realizados pelo famoso Natal Convention Bureau, entidade responsável pelo fomento da economia com a realização de eventos. Diante disso, a expectativa é de que tenhamos um público de aproximadamente 63.700 pessoas.

O presidente da entidade, Max Fonseca, afirma ainda que, o trabalho desenvolvido pelo Natal Convention Bureau tem trazido o amadurecimento da cidade como destino de novos eventos o qual trouxe resultados positivos. Os 19 eventos captados e apoiados são de diversas áreas, como: médicas, técnicas, religiosas, esportivas, culturais e corporativas e trarão para a cidade um valor de R$ 176 milhões. Segundo o cálculo que tem por base a pesquisa do IPDC/Fecomércio 2012, o turista de eventos gasta, em média, R$ 503,09 por dia na cidade, o que é um ponto positivo para o setor comercial.

Cabe salientar que a entidade superou o resultado de eventos estipulado para a cidade no ano passado, o qual foi de 41 eventos. Só no segundo semestre os resultados obtidos superaram o do primeiro semestre, no quesito captação. Com a realização bem sucedida da Copa, houve grande aumento da economia na cidade, o que contribuiu também para a divulgação de Natal, uma vez que não são muitos os turistas que a conhecem e quando vêm ao Brasil, na grande maioria das vezes, optam por conhecer Rio de Janeiro e São Paulo em primeiro plano.

Até o fim deste ano, pretende-se realizar 46 eventos, com o apoio do Natal Convention Bureau. Só no primeiro semestre já tivemos 18 eventos e até o fim do ano, a expectativa é de que haja pelo menos mais 28, o que irá trazer resultados superiores se comparados com o dos anos anteriores. Assim, podemos perceber que a cidade pode se tornar mais um ponto turístico para o país e trazer benefícios para a economia.

Por Luciana Viturino